Infinito

tumblr_ncq6na0DFK1rs8w78o1_1280.jpg

Tão dentro de mim. Tão dentro de ti. Tão dentro de nós.
Suspiros.
Às vezes penso que tantos sonhos assim não são capazes de me tornarem uma pessoa melhor. Quem sabe amor. Quem sabe dor. Quem sabe saudade de nunca ter tido coragem.
Coragem.
Dependendo do meu ponto de vista durante os caminhos que trilho, acredito que tudo seja uma questão de confiança. Confiança. Esperança.
Ainda te quero.
Ainda te sinto.
Ainda.
Ainda.
Quem sabe.
Não sei quem, não sei o motivo, não sei você. Desconheço.

Tenho vontade de fugir para me encontrar. Mas não me encontro em lugar nenhum, e não sei por onde procurar.

Sobre o silêncio

Processed with VSCOcam with a9 preset

Eu gosto do silêncio. Apesar de às vezes o silêncio ser angustiante e o motivo de muitos corações partidos. Eu gosto do silêncio, ao contrário de muita gente que gosta de multidões, e quando ficam em silêncio se sentem tristes ou sozinhas. Eu gosto. Não me vejo sem o silêncio que me traz paz e calma em momentos de raiva ou solidão. Vejo o silêncio como uma forma de agir sem que o coração se negue a pensar do seu jeito. A solidão me acorda e mantém minha mente ocupada de pensamentos que eu nem se quer sabia que existiam. Diferenciar o falso do errado, o amor da ilusão, isso não existe quando o que menos acontece ao nosso redor é o silêncio. Com o silêncio me sinto leve, me sinto inspirada, me sinto voando em um mundo que sempre foi meu, mas até então, não havia descoberto. O silêncio é minha calmaria e é com ele que me protejo.

Sou maluca mesmo.

tumblr_n9jsvl5cD41qb5pj6o1_1280.jpg

Sou maluca mesmo. Acredito no que ainda não existe, e mesmo com o mundo esfregando a verdade na minha cara sigo acreditando porque, de certa forma, isso me faz crer em um mundo melhor. Sou maluca mesmo. O amor ainda existe. Um mundo de paz ainda existe. Tranquilidade ainda existe. Mesmo que tudo isso só exista dentro de mim.

Vezenquando o mundo se torna tão real e sem vida que não creio que ainda existam sonhos possíveis para se realizar. Um navio em uma tempestade e a certeza que o fundo do mar me espera. Mas é preciso ser paciente. Não consigo notar que a tempestade de agora só existe aqui dentro. Tá tudo aqui. Aqui dentro e eu preciso esvaziar e preencher com coisas boas. Sou maluca mesmo. E eu tenho culpa se consigo imaginar o meu nome e a palavra “felicidade” dentro de um coração e rabiscados em uma árvore?

Tem dias em que as peças que a vida prega tornam-me totalmente insignificante. Um nada no meio de tudo. Um vão. Um vácuo. O silêncio. Solidão. Porém, inconstantemente alguns pequenos detalhes com um bocado de sorrisos, tornam-me uma super heróina de mim mesma. E é nisso que eu acredito. Pra vida tornar-se um sonho realizado, eu preciso ser uma heróina.

E sim, sou maluca mesmo.

Eu sou culpada por ainda achar que existe um final feliz em meio a um mundo caótico?