Sobre desistências

large (1).jpg

Vezenquando desistir pode ser a melhor coisa que podemos fazer a respeito de algo que nos machuca. Mas vezenquando desistir pode ser a pior coisa a ser feita quando algo nos faz bem mas escolhemos coisas para que depois, o sofrimento faça morada.

Confesso que tenho sentido medo de desistir de algo. E ao mesmo tempo alívio. Mas por mais que eu tenha desistido algo dentro de mim segue querendo insistir mesmo tendo total conhecimento que não vale a pena. Não vale a pena querer ajudar quem não quer ser ajudado. Não vale a pena querer morar no abraço de alguém que só quer uma estadia. Não adianta querer mergulhar no raso.

Eu nunca gostei de pessoas rasas. Mas na vida temos momentos em que pessoas rasas nos enganam e nos fazem acreditar em mares profundos e cheios de ondas boas para que possamos surfar na alma delas de forma intensa como nunca feito antes. Tudo pode ser desastre quando se tenta surfar sem nenhuma onda. Acabei tentando. Acabei caindo. Quase me afoguei. Porém, sigo com vontade de continuar insistindo pra ver se essa alma ainda vai ter alguma onda onde eu possa ficar. Um túnel onde eu possa surfar. Um abraço para que eu possa morar.

Sei que não vale a pena tudo isso. Mas desistências são difíceis pra mim. Desistências são doloridas, ainda mais quando ainda me importo. Minha mente me avisa. “Não se afoga, não se afoga, não se afoga.” Minha alma diz. “Tenta surfar mais uma vez. Mesmo doendo. Pessoas rasas às vezes podem aprender e se tornarem águas profundas.”

Mas a verdade é que águas profundas podem ser perigosas. Isso dói. Mas a profundidade é um desafio. Querendo ou não, eu gosto de desafios. E acho que por isso… Só por isso que não desisto. Só por isso que no fundo ainda quero.

Só por isso desistir está sendo difícil. Tuas palavras eram minhas águas mais profundas. Mas tuas atitudes eram rasas. Tu se tornou raso. Tu quis se tornar raso. Mesmo eu sendo uma das únicas pessoas do mundo que sabe o quão profundo tu pode ser.

Eu não desisti de mergulhar. Mas – felizmente ou infelizmente – não desisti de ficar na areia pra ver o quão raso tu se tornou.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s